Notícias

Jan 15, 2015

Aumento de tributos

Para reequilibrar as contas públicas e reconquistar a confiança do mercado, o governo Dilma Rousseff prepara para os próximos dias o anúncio de aumento de tributos.

Dilma esteve reunida na terça (13) com sua equipe econômica para definir detalhes das mudanças, que contemplarão a volta da Cide (tributo regulador do preço de combustíveis), zerada desde 2012, o aumento da alíquota do PIS/Cofins de importados e a alta na tributação sobre cosméticos, segundo a Folha apurou.

“A gente não tem o objetivo de fazer um saco de maldades, um pacote, nada disso. Mas a gente vai ter que tomar algumas medidas”, disse o ministro Joaquim Levy (Fazenda), durante café da manhã com jornalistas, antes da reunião com Dilma no Planalto.

Aos jornalistas ele não antecipou medidas, mas revelou que o governo pode avaliar o aumento da tributação sobre pequenas empresas prestadoras de serviço, por meio das quais trabalhadores acabam pagando uma alíquota muito inferior –em torno de 4%– de IR, em vez dos 27,5% de uma pessoa física.

“Há alguns mecanismos que, vamos dizer assim, até elevam a diminuição de pessoas que pagam imposto, à medida que sua renda é estabelecida no âmbito de empresas pessoais”, disse.

“Acho que, se houvesse um sentimento nessa direção [de mudar regras do IR], primeiro haveria de tratar desses casos egrégios”, completou.

No final de 2004, o então secretário da Receita, Jorge Rachid, agora reconduzido ao posto, decidiu pelo aumento da tributação dessas empresas. Após editar medida provisória com a mudança, o governo recuou.

Entre as medidas menos imediatas a serem tomadas, Levy disse que deve rever a isenção do IR em ganhos com LCIs (Letras de Crédito Imobiliário) e LCAs (Letras de Crédito do Agronegócio).

Segundo o titular da Fazenda, o aumento de impostos será “compatível” com o objetivo de elevar a poupança pública nos próximos anos.

Usando uma metáfora futebolística, Levy defendeu que é preciso “acertar o jogo para ter um segundo tempo bom, para sair do zero a zero” e “começar a fazer gol”.

Além do corte preliminar de gastos anunciado na semana passada, o governo conta com a alta de impostos para aumentar sua credibilidade no Congresso, onde terá de aprovar os cortes definitivos no Orçamento para este ano.

A equipe econômica também espera reduzir a dívida bruta para 50% do PIB –hoje, está em 63%–, o que seria uma sinalização positiva para os agentes econômicos.

“Se a gente trabalhar forte, temos que ter a ambição de chegar a um ‘rating’ de A [melhor classificação de risco de uma economia]. Não há razão para o Brasil não estar entre os melhores do mundo.”

15013741

ENERGIA

Levy reforçou que não haverá injeções de recursos do Tesouro para sanar a crise das distribuidoras e que esse custo será bancado pelos consumidores, nas contas de luz.

“Essa despesa pode, pela previsão legal, ser passada para o contribuinte ou para o consumidor. É menos eficiente que seja suportada pelo contribuinte”, afirmou.

Sobre a Petrobras, o ministro –que provavelmente será presidente do conselho de administração da estatal– disse que a política de preços dos combustíveis deve seguir uma “avaliação empresarial”. Nos últimos anos, eles foram represados para evitar pressões sobre a inflação.

 

Fonte: Folha de São Paulo

Imagem: Editoria de arte/Folhapress


Veja também:
Investimento Start-ups
Dez 20, 2014

Investimento Start-ups

Para apoiar o desenvolvimento das chamadas start-ups, a Comissão de CCT aprovou projeto que permite a dedução de valores investidos nesses empreendimentos da base de cálculo do IPRF.
Retorno de impostos
Jun 02, 2015

Retorno de impostos

Segundo o estudo divulgado pelo BPT, o Brasil segue na última colocação no ranking que mede o retorno oferecido em termos de serviços públicos de qualidade à população em relação ao que o contribuinte paga em impostos.
Igor Mauler sobre taxação da Netflix
Jul 25, 2016

Igor Mauler sobre taxação da Netflix

O diretor da ABRADT, Igor Mauler Santiago, comentou sobre a taxação da Netflix em matéria d' O Jornal Gazeta do Povo (PR).
XIX Congresso|Temas 2ºdia
Set 09, 2015

XIX Congresso|Temas 2ºdia

Conheça os Grandes Temas que serão abordados durante o 2º e 3º dia do XIX Congresso Internacional de Direito Tributário da Abradt, realizado de 23 a 25 de setembro, nas Faculdades Milton Campos, em Belo Horizonte.
Direito Tributário em pauta
Abr 06, 2015

Direito Tributário em pauta

Direito Tributário será tema de um dos painéis da XV Conferência Estadual da OAB/MG: Sociedade e Advocacia, que será realizada na cidade mineira de Montes Claros, entre os dias 9 e 11 de abril.
Entrevista André Mendes
Mai 16, 2016

Entrevista André Mendes

O diretor da ABRADT, André Mendes Moreira, foi entrevistado pelo Jornal Gazeta do Povo sobre o Simples Nacional, confira.