Notícias

Set 29, 2014

Minas corta ICMS para produtores

A partir de 1º de novembro, produtores mineiros de ovinos e caprinos estarão isentos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) para as saídas de animais vivos, inclusive interestadual. Representantes do setor afirmam que o benefício concedido pelo governo de Minas será importante para a redução dos preços dos produtos derivados e para a atração de frigoríficos para o Estado. Essa é a opinião do analista de agronegócios da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Wallisson Fonseca. De acordo com ele, a ausência de frigoríficos em Minas tem deslocado o abate de ovinos e caprinos para outros estados. Assim, a tributação incidia duplamente, sobre a saída dos animais e sobre o retorno da carne, gerando preços mais altos ao consumidor final. “Neste primeiro momento, podemos esperar como resultado imediato da isenção a redução desses preços, fomentando o consumo e a competitividade da produção mineira. Com isso, outros desdobramentos podem ser o maior estímulo e remuneração ao produtor, mais divulgação dessas carnes e, principalmente, a atração ou formalização de novos frigoríficos, para que o abate seja feito dentro do nosso Estado”. A medida também agradou produtores. “Reduzindo custos para a cadeia, a tendência é de redução de preços para o consumidor final e aquecimento da demanda.  um fomento que traz mais estímulo aos produtores e abre espaço para que frigoríficos passem a abater aqui, o que traria ainda mais benefícios ao Estado, aos produtores e ao consumidor final”, afirma Luciano Piovesan, presidente do Núcleo de Criadores de Caprinos e Ovinos das regiões Campo das Vertentes e Zona da Mata (Nuccorte). Piovesan e representantes da Faemg participaram ativamente do pleito pela isenção do ICMS para caprinos e ovinos. O Nuccorte é formado por um grupo de 54 criadores que contam hoje com 14 mil matrizes em 44 municípios mineiros. A produção do grupo está em torno de 360 a 480 cordeiros por mês e vem crescendo 25% ao ano. Em 42 meses de atuação em vendas coletivas, a associação já vendeu mais de 9 mil cordeiros para frigoríficos de São Paulo e Rio.

Impacto – Piovesan aponta que somente o recolhimento do ICMS sobre as remessas da Nuccorte em quatro anos ultrapassou R$ 154 mil. “Embora pareça um volume pequeno de arrecadação para o Estado, para o criador, o que incide é extremamente oneroso. Além do frete, que onera muito a produção mineira, o ICMS sobre a saída de animais vivos e novamente sobre o retorno dos produtos, vinha debilitando muito nossa competitividade e desestimulando os criadores”. Para o presidente da Nuccorte, a mobilização do setor produtivo foi de fundamental importância para a rápida aprovação do benefício estadual. “Foi uma demanda que levantamos na Comissão da Câmara Técnica da Seapa e formalizamos junto à Faemg, solicitando o apoio da entidade para fortalecimento do pleito junto ao foverno. A entidade teve grande importância nesse processo, da argumentação técnica à representação política para conquistarmos este benefício tão importante e que vem em tão boa hora”. (As informações são da Faemg).

Governo quer atrair frogoríficos com a medida O objetivo do governo de Minas com a isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) sobre a venda de ovinos e caprinos vivos é atrair frigoríficos para Minas Gerais, para que o Estado deixe de vender a matéria prima e passe a vender o produto final, com maior valor agregado. Segundo o Censo Pecuário do IBGE, em 2012, o rebanho caprino mineiro contava com 114.682 animais. Os ovinos somaram 225.955 de cabeças. Apesar da crescente presença em todas as regiões do Estado, a participação mineira ainda é tímida, em comparação com rebanho nacional, segundo o coordenador da Assessoria de Pecuária da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Bruno de Barros Ribeiro de Oliveira. “A isenção é parte de um trabalho para fomento da atividade no stado, e que já retira um impacto médio de 10% a 12% no valor do animal”, afirma. Segundo ele, a intenção é atrair frigoríficos para Minas. “Somos praticamente comerciantes de commodity, que é o animal vivo. Hoje, 95% da nossa produção de carne de cordeiro é abatida e fracionada fora do Estado, retornando a Minas com valor agregado. Ao invés de nos mantermos gerando divisa para outros estados, precisamos atrair empresas e fazer com que o produto fique no Estado”.

Caprileite – Da mesma opinião compartilha o diretor-tesoureiro da Associação dos criadores de Caprinos e Ovinos do Estado de Minas Gerais (Caprileite/Accomig), Onivaldo Leão. “A isenção sobre a venda de animais vivos é muito bem vinda, mas precisamos que essa medida seja o primeiro passo para um programa maior de incentivos. Trata-se de um setor com grande potencial e que merece incentivos também para a agroindústria, para que sejamos mais competitivos na venda do produto final e não apenas no fornecimento da matéria-prima”. Fonte: Diário do Comércio


Veja também:
Igor Mauler fala com a Folha de PE
Jun 21, 2016

Igor Mauler fala com a Folha de PE

O diretor da ABRAT, Igor Mauler Santiago, concedeu entrevista ao Jornal Folha de Pernambuco, em notícia sobre a possível redução dos incentivos fiscais concedidos à Refinaria Abreu de Lima, em Suape.
Tabela do IR
Dez 12, 2014

Tabela do IR

O governo deve editar, depois do dia 22, uma Medida Provisória (MP) corrigindo a tabela progressiva do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) em 4,5%. As novas faixas entram em vigor a partir do dia 1º de janeiro de 2015.
Reajuste na energia elétrica
Fev 06, 2015

Reajuste na energia elétrica

Aneel aprova repasse de custos de geração de energia pelas distribuidoras aos consumidores. A justificativa é repassar ao consumidor o aumento de custos com a geração de energia.
Paraísos Fiscais
Dez 22, 2014

Paraísos Fiscais

Conheça as novas regras para que países sejam considerados paraísos fiscais, ou seja, um estado nacional ou uma região autônoma da qual se facilita a aplicação de capitais estrangeiros.
Programa de palestras Receita Informa
Abr 05, 2016

Programa de palestras Receita Informa

Programa de palestras realizado pela Abradt em parceria com a OAB/MG aborda a obrigatoriedade de protocolos de Impugnações, Manifestações de Inconformidade e Recursos para empresas com lucro real.
Parcelas Definidas
Fev 19, 2015

Parcelas Definidas

A Fazenda publicou na quarta-feira (18) as regras para que empresas em recuperação judicial parcelem suas dívidas com o Fisco federal.