Notícias

Set 12, 2014

Suspensa a alta do ISSQN

O projeto do Executivo que aumentava em até 150% a cobrança do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) foi derrubado ontem, por 11 votos a nove, no pleno do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). O PL 10.692 afeta mais de 90 segmentos da economia da capital, entre eles, serviços de educação, cartórios, engenharia, enfermagem, feiras e shows. Ele havia sido sancionado em 30 de dezembro, depois de uma votação articulada a toque de caixa, na Câmara de Vereadores, quando 28 dos 35 parlamentares votaram a favor do projeto. O aumento, que começou a ser praticado em 1º de maio, fica supenso até que o processo seja julgado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília.

A ação no TJMG usou como base a Constituição do Estado de Minas Gerais, que veda que se apresente projetos de lei que aumentem ou criem tributos no período de 90 dias que antecede o término da sessão legislativa. O deputado estadual Fred Costa (PEN), autor da ação, afirmou que o aumento do imposto traria grandes impactos à vida dos belo-horizontinos. Para ele, o Executivo, antes de encaminhar o projeto, “não estabeleceu diálogo anterior com os empresários dos setores afetados ou com a sociedade em geral”. Pelo número de protocolo, o projeto deu entrada na Câmara de Vereadores em 28 de novembro e foi sancionado pelo prefeito Márcio Lacerda (PSB) em 30 de dezembro.

“A prefeitura e os vereadores estão no caminho inverso da realidade do empresariado e da sociedade brasileira, que, hoje, são penalizados com a alta carga tributária”, afirmou Costa. Sobre a quantia extra cobrada desde 1º de maio, o deputado esclarece que cabe ao STJ decidir o que será feito, ou seja, se a prefeitura terá que devolver o que foi cobrado a mais das empresas entre maio e setembro.

O ISSQN, é o principal tributo municipal desde 2006, liderando o ranking de fontes da arrecadação municipal. Em alguns setores, como da construção civil, serviços de engenharia, coleta e remoção de lixo, além de serviços de registros públicos, cartorários e notariais, a alíquota passaria de 2% para 5%, um aumento de 150%. Já para os serviços de educação, ensino, orientação pedagógica e educacional, instrução treinamento e avaliação pessoal de qualquer grau ou natureza, o imposto havia sido reajustado em 100%, passando de 2% para 3%. Outros serviços que também haviam tido a carga tributária alterada foram os de mapeamento, cartografia, levantamentos topográfícos, elaboração de planos diretores, cuja alíquota passaria de 2% para 2,5%.

OUTRO EMBARGO  Em abril deste ano, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais concedeu liminar embargando o aumento do Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis por Ato Oneroso (ITBI) de Belo Horizonte, depois de julgar uma Ação Direta de Inconstitucionalidade. O valor passaria de 2,5% para 3% do valor venal do imóvel a partir de maio, o que representaria uma alta de 20% no valor a ser pago pelo contribuinte. O aumento foi suspenso e o caso seguiu para julgamento pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. Na época em que o aumento foi aprovado pelo Legislativo, a Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI/Secovi-MG) e outras 20 associações reuniram cerca de 800 assinaturas contra a decisão em uma petição pública que foi entregue à Prefeitura de Belo Horizonte.

Fonte: Estado de Minas

Autor: Francelle Marzano


Veja também:
Vencedores das Teses
Nov 26, 2014

Vencedores das Teses

Confira os vencedores do Prêmio Sacha Calmon durante o XVIII Congresso Internacional de Direito Tributário da ABRADT. Quatro jovens advogados tributaristas foram premiados.
Impostos para aplicativos
Set 13, 2014

Impostos para aplicativos

Desenvolvedores brasileiros de aplicativos para dispositivos móveis podem estar criando grandes passivos fiscais nos Estados Unidos.
Malha fina do IR
Dez 19, 2014

Malha fina do IR

Após o encerramento do processamento dos lotes de restituição, a Receita Federal divulgou, nesta terça-feira, o número de declarações do Imposto de Renda de 2014 que ficaram retidas na malha fina.
IPI sobre valor final
Set 08, 2014

IPI sobre valor final

Supremo Tribunal Federal (STF) decide que cálculo do IPI deve ser o valor final das operações, já com os descontos oferecidos na hora da venda, e não sobre o preço de tabela.
Entrevista André Mendes
Mai 25, 2016

Entrevista André Mendes

O site JOTA, abrigado no portal UOL, publicou, na seção Livros, entrevista com o diretor André Mendes Moreira, sobre o livro “A tributação dos Serviços de Comunicação”, que foi lançado na última terça-feira, 24/05, em São Paulo.
Tributação de remessas
Set 13, 2014

Tributação de remessas

A Receita Federal e os Correios começarão a testar o sistema que visa automatizar a tributação de mercadorias adquiridas no exterior por meio da internet