Notícias

Set 12, 2014

Suspensa a alta do ISSQN

O projeto do Executivo que aumentava em até 150% a cobrança do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) foi derrubado ontem, por 11 votos a nove, no pleno do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). O PL 10.692 afeta mais de 90 segmentos da economia da capital, entre eles, serviços de educação, cartórios, engenharia, enfermagem, feiras e shows. Ele havia sido sancionado em 30 de dezembro, depois de uma votação articulada a toque de caixa, na Câmara de Vereadores, quando 28 dos 35 parlamentares votaram a favor do projeto. O aumento, que começou a ser praticado em 1º de maio, fica supenso até que o processo seja julgado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília.

A ação no TJMG usou como base a Constituição do Estado de Minas Gerais, que veda que se apresente projetos de lei que aumentem ou criem tributos no período de 90 dias que antecede o término da sessão legislativa. O deputado estadual Fred Costa (PEN), autor da ação, afirmou que o aumento do imposto traria grandes impactos à vida dos belo-horizontinos. Para ele, o Executivo, antes de encaminhar o projeto, “não estabeleceu diálogo anterior com os empresários dos setores afetados ou com a sociedade em geral”. Pelo número de protocolo, o projeto deu entrada na Câmara de Vereadores em 28 de novembro e foi sancionado pelo prefeito Márcio Lacerda (PSB) em 30 de dezembro.

“A prefeitura e os vereadores estão no caminho inverso da realidade do empresariado e da sociedade brasileira, que, hoje, são penalizados com a alta carga tributária”, afirmou Costa. Sobre a quantia extra cobrada desde 1º de maio, o deputado esclarece que cabe ao STJ decidir o que será feito, ou seja, se a prefeitura terá que devolver o que foi cobrado a mais das empresas entre maio e setembro.

O ISSQN, é o principal tributo municipal desde 2006, liderando o ranking de fontes da arrecadação municipal. Em alguns setores, como da construção civil, serviços de engenharia, coleta e remoção de lixo, além de serviços de registros públicos, cartorários e notariais, a alíquota passaria de 2% para 5%, um aumento de 150%. Já para os serviços de educação, ensino, orientação pedagógica e educacional, instrução treinamento e avaliação pessoal de qualquer grau ou natureza, o imposto havia sido reajustado em 100%, passando de 2% para 3%. Outros serviços que também haviam tido a carga tributária alterada foram os de mapeamento, cartografia, levantamentos topográfícos, elaboração de planos diretores, cuja alíquota passaria de 2% para 2,5%.

OUTRO EMBARGO  Em abril deste ano, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais concedeu liminar embargando o aumento do Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis por Ato Oneroso (ITBI) de Belo Horizonte, depois de julgar uma Ação Direta de Inconstitucionalidade. O valor passaria de 2,5% para 3% do valor venal do imóvel a partir de maio, o que representaria uma alta de 20% no valor a ser pago pelo contribuinte. O aumento foi suspenso e o caso seguiu para julgamento pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília. Na época em que o aumento foi aprovado pelo Legislativo, a Câmara do Mercado Imobiliário e Sindicato das Empresas do Mercado Imobiliário de Minas Gerais (CMI/Secovi-MG) e outras 20 associações reuniram cerca de 800 assinaturas contra a decisão em uma petição pública que foi entregue à Prefeitura de Belo Horizonte.

Fonte: Estado de Minas

Autor: Francelle Marzano


Veja também:
Valter Lobato é listado na Lacca
Jul 20, 2016

Valter Lobato é listado na Lacca

O Diretor Presidente da ABRADT, Valter Lobato, é novamente listado na Lacca Approved 2017.
Parceria CAD
Fev 03, 2017

Parceria CAD

Associados ABRADT têm condições especiais na pós-graduação em Direito tributário desenvolvido no CAD – Centro de Atualização em Direito em parceria com a Universidade FUMEC e isenção na taxa de inscrição. Saiba mais!
Programação do Seminário
Mar 02, 2016

Programação do Seminário

Confira a programação completa do Seminário: Contencioso Administrativo – Em homenagem aos 70 anos do Conselho de Contribuintes/MG realizado pela Abradt no dia 15 de março, em Belo Horizonte.
Reajuste na energia elétrica
Fev 06, 2015

Reajuste na energia elétrica

Aneel aprova repasse de custos de geração de energia pelas distribuidoras aos consumidores. A justificativa é repassar ao consumidor o aumento de custos com a geração de energia.
Previsão de alta do IPCA
Fev 02, 2015

Previsão de alta do IPCA

A mediana das estimativas para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 6,99% para 7,01%. Se realizada, será a primeira vez que a inflação supera 7% em um ano fechado desde 2004, quando subiu 7,60%.
Contribuição Social
Dez 24, 2014

Contribuição Social

Projeto de Lei 7.082/2010, que reduz a contribuição social do empregador e do empregado doméstico ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), foi vetado nessa terça-feira pela presidente Dilma Rousseff (PT).