Notícias

Dez 06, 2014

Regime Fiscal

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, decidiu reduzir de 20% para 17% a alíquota máxima da tributação de renda de pessoas jurídicas no conceito de país com tributação favorecida e regime fiscal privilegiado, os chamados “paraísos fiscais”.

Na prática, a mudança poderá reduzir o número de países enquadrados nessa conceituação. Aportaria foi publica na edição de hoje (1º) do Diário Oficial da União, mas precisa de ato da Receita Federal, que usará padrões de transparência adotados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) , explicou o chefe substituto da Divisão de Tributação Internacional, Flávio Barbosa.

Se o país tem 17%, por exemplo, o Brasil avaliará se ele se enquadra nessa situação, com base nos padrões da Receita. A OCDE será referência, mas serão observadas outras práticas, entre elas a transparência, salientou Andréa Costa Chaves, auditora fiscal da Receita.

Segundo ela, os países terão de se dirigir às autoridades brasileiras para pedir novo enquadramento. Ela destaca a Suíça, que tem critérios que transformaram recentemente o país “parcialmente em paraíso fiscal”.

Flávio Barbosa explicou que, em 2003, a OCDE reduziu de 36% para 25,5%, em média, mas, mesmo assim, o teto para o Fisco brasileiro permaneceu elevado e muitas regiões, para atrair investidores, continuaram na lista do chamado “paraíso fiscal”.

Ele acrescentou que a Alemanha e países da Europa Ocidental também têm alterado, como o Brasil, a alíquota da tributação da renda para enquadrar melhor a lista de países.

De acordo com a Secretaria de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda, a OCDE é um órgão internacional e intergovernamental, que reúne os países mais industrializados e também alguns emergentes, como México, Chile e Turquia.

Fonte: Agência Brasil


Veja também:
Retorno de impostos
Jun 02, 2015

Retorno de impostos

Segundo o estudo divulgado pelo BPT, o Brasil segue na última colocação no ranking que mede o retorno oferecido em termos de serviços públicos de qualidade à população em relação ao que o contribuinte paga em impostos.
Investimento Start-ups
Dez 20, 2014

Investimento Start-ups

Para apoiar o desenvolvimento das chamadas start-ups, a Comissão de CCT aprovou projeto que permite a dedução de valores investidos nesses empreendimentos da base de cálculo do IPRF.
Carta ABRADT GO
Mar 20, 2015

Carta ABRADT GO

A ABRADT GO realizou , no dia 27 de fevereiro, um "Café Temático sobre Reforma Tributária". Uma carta com quatro pontos fundamentais foi extraída do evento. Confira!
Lançamento de livro em São Paulo
Out 20, 2015

Lançamento de livro em São Paulo

Será realizada nesta quinta-feira, dia 22, o lançamento do livro O Ágio no Direito Tributário e Societário: Questões Atuais, coordenado por Eduardo maneira e Igor Mauler Santiago, e organizado por Daniel Serra Lima e Fernando Daniel Fonseca.
ABRADT realiza sorteio em fanpage
Jun 11, 2015

ABRADT realiza sorteio em fanpage

ABRADT vai sortear no dia 18 de junho dois livros sobre Direito Tributário, entre os seus associados. As obras têm a coordenação da especialista em Direito Tributário, Misabel Abreu Machado Derzi. Participe!
Artigo | Igor Mauler Santiago
Mar 18, 2015

Artigo | Igor Mauler Santiago

Confira o artigo do membro da diretoria ABRADT e da Comissão de Direito Tributário do Conselho Federal da OAB, Igor Mauler Santiago, publicado no Conjur nesta quarta-feira (18).